Dificuldades na adaptação aos óculos com lentes progressivas

A deficiência visual para perto surge geralmente em torno dos 40 anos de idade. É bastante comum que a sua correção com óculos seja feita com lentes multifocais progressivas. Existem muitas marcas e modelos disponíveis e o mercado destas lentes é disputado por grandes multinacionais.

Estas lentes de óculos permitem a correção da visão para longe, meia distância e perto. A modificação da correção visual ao longo da lentes, se faz por uma progressão: a parte superior da lente oferece boa visão para longe, abaixo desta existe um estreito corredor de visão intermediária e na parte inferior da lente encontra-se a correção para leitura. Parte do campo de visão destas lentes apresenta distorção das imagens que não foi eliminada mesmo nas lentes mais modernas, apesar dos avanços tecnológicos.

A maioria das pessoas se adapta facilmente a estas lentes. Entretanto, é relativamente comum a queixa de dificuldades na adaptação, mesmo em pessoas já adaptadas, quando fazem óculos novos.

A falta de conforto com óculos novos com lentes multifocais progressivas é motivo frequente de retorno ao oftalmologista e muitas vezes leva pacientes a procurarem uma consulta com outro oftalmologista para uma segunda opinião médica.

O oftalmologista deve escutar atentamente as queixas dos pacientes e analisá-las para identificar a origem do problema

As três causas mais comuns de dificuldades na adaptação com essas lentes são:

1 – Falha do médico oftalmologista ao determinar o erro refracional do paciente (“grau da lente”) ou ao transcrever a prescrição

2 – Falha no aviamento da prescrição, ou seja, na fabricação da lente e na montagem das lentes nos óculos

3 – Falha na escolha da armação

 Os motivos mais comuns da falta de conforto com essas lentes são falhas na fabricação da lente, falhas na montagem e escolha inadequada da armação dos óculos. Estas questões serão apresentadas em outros textos sobre o assunto